Paraíba está em alerta e adota medidas preventivas em relação à gripe aviária

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), está seguindo a determinação do Ministério da Agricultura e Pecuária que declarou emergência zoossanitária em todo o país em função da detecção do vírus da influenza aviária H5N1, a gripe aviária. O estado de emergência zoossanitária é declarado sempre que há risco de uma doença se espalhar rapidamente. Diante disso, está proibido, por exemplo, o trânsito de aves em aglomerações e feiras, sendo permitido apenas aves para abate, portando a Guia de Trânsito Animal (GTA).

A gerente executiva da Defesa Agropecuária, Girlene Alencar, afirmou que os casos relatados no país se tratam de aves silvestres, logo o risco é menor do que em casos de aves comerciais e garantiu que a Paraíba está alerta diante da situação. Ela ainda comentou que, na última terça-feira (23), aves foram encontradas mortas no estado e a Defesa Agropecuária foi chamada. “Esta semana fomos acionados pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema) para verificar umas aves encontradas mortas. Fizemos coletas de sangue e enviamos análises para o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária para ser detectado se elas morreram de influenza aviária ou outra doença. No momento, estamos aguardando o resultado”, disse.

A Sedap vem se reunindo rotineiramente, desde o ano passado, com o Ministério da Agricultura e Pecuária, após ser detectada a influenza aviária em aves migratórias na Colômbia e no Chile, para traçar as providências para lidar com esta doença. “Já em abril deste ano, realizamos em Campina Grande um encontro com produtores de aves onde foram orientados sobre o que é necessário para controlar o risco da influenza aviária”, explicou ressaltando que a Paraíba se mantém atenta as informações e tomando medidas preventivas.

Na próxima semana, a Sedap, por meio da Defesa Agropecuária, vai realizar uma reunião com todos os órgãos ambientais, Secretaria de Estado da Saúde e outras entidades ligadas à questão de zoonoses para traçar estratégias de ação nesse período de ameaça da influenza aviária no país.

É importante ressaltar que, caso a população encontre aves mortas, deve entrar em contato com a Sudema, a Polícia Ambiental ou o Ibama para que a Defesa Agropecuária seja, imediatamente, acionada e tome as medidas necessárias.